01.08.16 | Escrito por: O Bom de Viajar

De Carona com o Bomde – Uruguai

Viaje com a gente pra um país encantador, onde o tempo parece passar mais devagar

De Carona com o Bomde - Uruguai

 

Existem mil tipos de viagem: aquelas mais contemplativas, outras que correm a mil por hora e até aquelas que voltamos com a mala de cheinha de compras (quem nunca?).

 

 

Dessa vez, decidimos pegar carona em uma viagem diferente. Uma viagem que não faz o tempo parar, mas que deixa o relógio rodar devagar, beeem devagarinho. E esse lugar tem um nome, um futebol espetacular, vinho pra todos os gostos e um dos povos mais acolhedores do mundo. Parece o paraíso, não é? Bem-vindo ao Uruguai!

 

 

Os nossos companheiros dessa viagem são velhos amigos do Bomde. A Clarissa é prata da casa, e quando não está viajando por aí, viaja por aqui, trazendo mil novidades para o nosso canal. O Luli é designer, amigo da Cla, e sempre compartilha com ela e com a gente o seu amor pelas estampas e pelas viagens. Eles acabaram de voltar do Uruguai e vão contar aqui toda essa experiência pra gente.

 

 

Agora é hora de fechar a mala e colocar o pé na estrada. Preparados? Com a palavra, nossos viajantes!

 

 

À primeira vista, o Uruguai pode parecer um lugar pequeno, com pouquíssimos habitantes e um sotaque muito parecido com o dos nossos hermanos argentinos. “Até aí, só li verdades”. Mas a verdade verdadeira é que esse lindo país vai muito além disso. Nossos vizinhos conseguiram criar uma maneira bem própria de dialogar com o mundo. Sem tentar ser um espelho de Nova York ou Paris para se sentirem modernos, eles abraçam mil referências, sem deixar de lado o jeitinho uruguayo de ser e de viver. E o resultado é um emaranhado de experiências que transbordam autenticidade.

 

De Carona com o Bomde - Uruguai

 

Povo acolhedor, cultura única e vinhos para todos os gostos esperam por você o ano inteiro no Uruguai

 

 

→ PRIMEIRA PARADA: MONTEVIDÉU

 

 

Esqueçam as praças. Esqueçam os monumentos (eles são legais e valem a visita, não nos entendam mal). Mas a dica é desligar o despertador, pegar a bike e viver a cidade dentro da sua própria rotina.

 

 

E realmente, não tem jeito melhor para conhecer a principal cidade do Uruguai do que pedalando. Com menos de um milhão e meio de habitantes (São Paulo tem mais de 11 milhões, só pra ilustrar), Montevideo é bike friendly em sua essência. Não esperem por milhares quilômetros de ciclovia, ok? Esperem por pessoas educadas, que estão acostumadas com os ciclistas e respeitam bastante os amigos que viajam sobre duas rodas. Nossa dica de passeio: pegar a Rambla desde Pocitos até Ciudad Vieja, passando pelo Parque Rodó, que é um excelente pit stop pra tomar um mate e contemplar tudo, inclusive a vida. =)

 

 

Se esse passeio de bike acontecer num domingo, aconselhamos incluir no roteiro a famosa Feira de Tristán Narvaja. O Uruguai é um dos grandes polos para os apreciadores de antiguidades em todo o mundo, e essa feira é o ápice para as pessoas de alma vintage. Seguindo essa pegada, não deixe de visitar também o brechó Tienda Rara, um oásis para os garimpeiros de plantão, que está recheado com peças de estilistas famosos e muitos achados excêntricos.

 

 

Ainda na Ciudad Vieja, faça uma parada no bar Santa Catalina. Aqui vamos ser bem diretos: comida simples, da melhor qualidade, e lugar frequentado por Pepe Mujica. Precisa dizer mais? Ali pertinho fica o Teatro Solís, um lugar emblemático que vale visitar, seja para assistir a um espetáculo (a programação é excelente, o mês inteiro), seja para conhecer as próprias instalações do local.

 

 

Aliás, a programação cultural de Montevidéu é inquieta. Espere por muitos espetáculos de dança, teatro e shows de artistas locais. A música uruguaia se orgulha de ter um time enorme produzindo muita coisa boa (bem além de Jorge Drexler), como Luciano Supervielle, Bajofondo e Fernando Cabrera, só para citar alguns.

 

 

E para engrossar o caldo das dicas culturais na capital, não poderíamos deixar de falar do Centro Cultural de España. De exposições de arte a peças teatro, você pode ser surpreendido até por um espetáculo de voguing (a performance de dança que marcou os anos 80 e voltou com tudo misturando elementos do universo da moda, Drag Queens e dança contemporânea). Vale muito a visita!

 

 

O El Mingus, em Palermo, é um daqueles achados de viagem que se guarda a sete chaves, com medo que o mundo descubra e ele não seja mais o mesmo, sabe? Mas é claro que não deixaríamos de compartilhar com vocês. Prepare-se para uma noite regada a muitas bandas de jazz, vinho bom (e barato!) e muita gente bacana. Tudo da melhor qualidade, sem o peso de querer ser hypado. Aliás, essa parece ser a essência de todo Uruguai. <3

 

De Carona com o Bomde - Uruguai

 

O Fênix Bar também é uma boa pedida pra quem não dispensa o bar e ama cinema. Toda noite tem a projeção de um filme diferente (dentro do bar e na rua!) em meio a muito vinho, hamburguesas e juke box. Fica na Ciudad Vieja.

 

 

Ah, para curtir um bom brunch, uma pausa pra ler um livro ou simplesmente para se deliciar com um cardápio de dar água na boca, recomendamos o Candy Bar, em Palermo. A decoração é um espetáculo a parte e, junto com o menu, é a fusão perfeita entre o velho e o novo.

 

 

Tudo muito bom, tudo muito bem… Você já está sentindo um local, certo?  Mas que tal mudar o visual e levar uma lembrança que vai te acompanhar todos os dias, mesmo depois da viagem? Já que viajar é trocar a roupa da alma, nós aconselhamos você a trocar o visual das madeixas também na melhor peluqueria uruguaya. Passe no Niño Robot e saia de lá com um corte de cabelo que é quase uma obra de arte. Palavra de viajante!

 

 

→ SEGUNDA PARADA: COLÔNIA DEL SACRAMENTO & CARMELO

 

 

Já que esse é um roteiro invernal, e no Uruguai faz um frio glacial, nossa dica pós-Montevidéu é fugir dos caminhos que levam a Cabo Polônio (litoral paradisíaco, perfeito para o verão) e se jogar no universo dos vinhos. Por isso, partimos rumo ao norte, em direção a Carmelo.

 

 

O diferencial de Carmelo, em relação ao restante da produção de vinho uruguaio, é que lá é bem comum encontrar pequenos produtores. Essas famílias chegaram no século XIX à região e iniciaram suas vinícolas, transformando pra sempre o distrito (que hoje possui apenas 20 mil habitantes), em uma verdadeira toscana uruguaia.

 

 

É claro que um parada em Colônia del Sacramento antes é inevitável, não é? Distante 2 horas e meia de Montevidéu, a boa de Colônia é se perder pelo centro histórico, caminhar pelas ruas de pedra, visitando cada cantinho que tem uma arquitetura muito especial. Achamos que a visita ao farol é imprescindível (a cidade fica ainda mais bonita vista de cima). Uma parada no Almacén la Carlota é também muito recomendável. A variedade de objetos pra decoração feitos artesanalmente por eles é absurda. Uma dica politicamente incorreta é dar uma escapulida do centro histórico, com o carrinho de golfe alugado, e ir até a Plaza de Toros, onde tem o Coliseu uruguaio (se perguntarem quem deu essa dica, negaremos até a morte, ok? =) ).

 

 

Existem mil opções gastronômicas maravilhosas em Colônia, que passam pela clássica panqueca de doce de leite, a boa parillada e até frutos do mar. Você estará em ótimas mãos! Mas pra fugir do comum, aconselhamos uma passada até a cantina do time de futebol mais popular da região, o Club Plaza Colonia (aquele mesmo, que ganhou o Torneo Clausura esse ano). Lá você vai experimentar um clássico chivito, jogar conversa fora e se sentir mais uruguaio que o Soares.

 

 

A viagem de Colônia a Carmelo leva aproximadamente 40 minutos de carro. Do centro de Carmelo é possível ir de bike (uma pedalada moderada) até a região das vinícolas, que ficam basicamente ao longo da Ruta 21. Esse é o momento que você vai se sentir como se estivesse num filme do Bertolucci, em plena Toscana. São milhares de hectares com plantações de uva, em meio a um cenário paradisíaco. Pedale e deixe o vento te guiar.

 

De Carona com o Bomde - Uruguai

 

Em dois dias é possível visitar grande parte, se não todas as vinícolas da região. Recomendamos que os trabalhos comecem com um almoço no restaurante da vinícola Campotino (é bom fazer reserva, pois o lugar é bem pequeno e concorrido). Mais a frente, tem o Almacén de la Capilla, que é a lojinha da Bodega Cordano. A família reside até hoje na fazenda e é possível ficar hospedado lá durante a época da colheita (fevereiro e março), participando de todo o processo com eles. O Almacén de la Capilla vende vinhos Cordano que não podem ser encontrados em nenhum outro lugar. Portanto, quando fizer a visita, garanta a sua garrafa de Tannat Rosé. Obrigada, de nada 😉

 

 

Separe um domingo para visitar a Bodega Irurtia (manhã ou tarde). A visita é feita em companhia de uma das herdeiras da família Irurtia, portanto, a “contação” de muitas histórias é garantida. Essa é uma das maiores vinícolas da região e, além da degustação ao final do passeio, é possível também ver a coleção de carros antigos que a família mantém da fazenda. Um charme à parte!

 

 

Depois da visita, aconselhamos uma parada na Asociacion Italo Uruguaya, uma casinha perdida no meio da estrada, que tem o almoço de domingo mais concorrido de Carmelo: o cardápio é único, com um ravióli caseiro de receita tradicional deliciosa. Pra acompanhar, muito vinho, claro (a reposição de vinho é infinita, ok?) e sobremesas a perder de vista. Tudo isso acompanhado de um violeiro, que toca canções italianas e uruguaias, deixando esse almoço ainda mais especial. Uma viagem no tempo? Com certeza.

 

 

Considere reservar um jantar na Bodega El Legado. O número de clientes por noite é super restrito (no máximo 20 pessoas) e a experiência de degustar os vinhos da casa, acompanhados de um menu maravilhoso, ao som de jazz… É inesquecível.

 

 

Carmelo tem a particularidade de ser atravessada por um rio que conduz, em pouco tempo, até a cidade vizinha de Tigre, já em território argentino. Esse é um passeio que vale muito a pena fazer para quem estiver com um tempinho extra. O barco sai diariamente, ida e volta. Existe uma única empresa que faz esse trajeto, que é a Cacciola e é recomendado comprar com antecedência, pois não existe muita opção de horários.

 

 

Tenha uma única certeza: esse pequeno grande país vai te surpreender e marcar a história das suas viagens pra sempre. É o tipo de viagem que você termina querendo voltar imediatamente!

 

 

As melhores dicas você já tem. Agora é só programar sua ida ao Uruguai e ser feliz! 🙂

 

Até o próximo De Carona!