18.08.17 | Escrito por: O Bom de Viajar

De Carona com o Bomde especial – Groenlândia

Quando a viagem dos sonhos vira realidade, por Alex Horimoto

Aniversariar é celebrar a vida, reviver bons momentos, comemorar as conquistas, renovar energias e se encher de esperanças.

 

Em julho, O Bom de Viajar completou 3 anos e estamos em festa!

 

Motivos para comemorar não nos faltam. Foram três mágicos anos de muitas alegrias, mudanças, desafios, descobertas e muuuuitas viagens. Quanta coisa boa, hein? 😀

 

 

 

 

Essa jornada não teria sido tão incrível sem vocês, nossos amigos, loucos e apaixonados pela estrada, feito a gente. Juntos colecionamos histórias, perrengues e a paixão de estar por aí.

 

E como fazer aniversário também é agradecer e compartilhar os bons momentos ao lado de pessoas especiais, nós convidamos vocês para a festa:

 

 

GIF com os comentários da publicação na página do Bomde no Facebook.

 

 

Vocês (como sempre) toparam e a participação de todos foi demais. \o/ (Clique para ampliar)

 

 

Relato publicado por Kauana.

Relato de Wesley.

Relato de Aline.

 

 

E entre tantos depoimentos emocionantes, a história vencedora e que conquistou a todos foi a do aventureiro Alex Magno Coelho Horimoto.

 

 

Print da publicação anunciando o vencedor na página do Bomde no Facebook.

 

 

Apertem os cintos e embarquem com a gente no De Carona com o Bomde – edição especial de aniversário – direto à Groenlândia. Bora!

 

 

Alex Horimonto em: “A viagem mais fantástica que eu fiz”

 

 

Alex Magno Coelho Horimoto em frente a geleira na Gronelândia.

Uma viagem sonhada e desejada desde a infância. A Groenlândia mexia com o imaginário do Alex desde o tempo em que ele brincava de WAR, um clássico jogo de tabuleiro onde o objetivo é ganhar batalhas e conquistar o mundo, ainda criança.

 

Enfim, ele recentemente realizou o sonho de conhecer a imensa ilha, que fica próxima ao litoral Norte do Canadá e pertence à Dinamarca. Terra das baleias narval, de trenós puxados por cachorros e de gigantescos icebergs. Uma verdadeira terra dos sonhos. =D

 

E para contar todos os detalhes dessa incrível expedição, com vocês,
 o viajante Alex Magno Coelho Horimoto.

 

 

Era um vez…

 

A viagem mais fantástica que eu fiz e que mexe com o imaginário desde a minha infância foi a ida recente para a Groenlândia. Lembro que o primeiro contato que tive com a Groenlândia foi com o jogo de tabuleiro WAR, quando ainda não existia a Internet.

 

Independente de qual fosse o meu objetivo principal, eu sempre queria conquistar a Groenlândia, parecia fixação de criança.

 

Então, conhecer um país tão inóspito e distante de tudo foi realizar um sonho de criança.

 

 

Alex Magno Coelho Horimoto correndo em meio a montanhas.

Montanhes, neve e lago.

 

Alex Magno Coelho Horimoto correndo.

 

 

… E o sonho virou realidade

 

Para realizar esse sonho foi preciso cerca de 1 ano e meio de preparação, tudo é mais difícil, principalmente pelo clima que só permite 3 a 4 meses de tempo bom para o turismo. Chegar lá também é uma aventura, pois só existem voos diretos ou da Islândia ou da Dinamarca. A língua é outro desafio, porque é quase impossível para a gente aprender o groenlandês ou a outra língua oficial, o dinamarquês.

 

 

Mas todas essas dificuldades são esquecidas quando você avista aquela imensidão de gelo ao chegar de avião (para meu desespero, de dupla hélice). O coração bate a mil e você não sabe se é mais pelo medo ou pelo contentamento.

 

E estar lá realmente não decepcionou, principalmente para aqueles que têm espírito aventureiro e gostam de paisagens inacreditáveis, sejam nas montanhas, vilarejos, fiordes ou gelo.

 

Gosto muito de correr por esporte e fazer trilhas, além de fotografia, então pude captar imagens lindíssimas de lá.

Alex próximo a lago com geleira.

 

Em relação à culinária da Groenlândia, destaque para seus ingredientes raros e exóticos. Carne de baleia, carne de rena, carne de foca e aves são muito populares no país. Um prato clássico, uma sopa chamada suaasat, é feita, normalmente, com carne de foca (pode também ser feita com peixe, ave, carne de baleia ou renas).

 

 

Alex correndo no lago.

 

Alex no lago.

Benção por do sol.

 

Por todos esses motivos acho que esta seria a viagem mais marcante de todas, além disso, gosto muito de viajar, e conhecer este novo país completou exatamente a minha lista pessoal de 50 países visitados.

 

E afinal, quem você conhece que literalmente já foi para a Groenlândia? Rsrsrsrs

 

 

Por que resolvi ir para a Groenlândia?

 

Bandeira da Gronelândia.

1) Por ser um sonho de infância, mesmo sem nem saber onde exatamente ficava aquele país.

 

2) Por gostar de aventuras e contato com a natureza, além de amar conhecer países frios como os da Escandinávia.

 

3) Amo correr pelo mundo e as trilhas e paisagens por lá são de outro mundo.

 

4) Por já ter viajado por todos os continentes e regiões, esse país tinha que ser especial, pois completaria o número mágico da minha lista de 50 países visitados.

 

 

 

A melhor época para conhecer

 

Como o clima é muito instável e inóspito, apenas em 4 meses do ano o frio é mais ameno (uma média de 0 a 10 graus) entre junho e setembro. Então, resolvi ir no final de junho e encontrei a temperatura variando entre -3°C e +12°C.

 

 

Como planejar a viagem

 

Existem 6 regiões principais para o turismo: Norte (cidade mais recomendada Ilulissat), Sul, onde visitei quatro cidades Leste (cidade principal Tasiilak) , região da capital Nuuk, Círculo Ártico (cidade mais conhecida Sisimiut) e região do Parque Nacional.

.

É imprescindível contar com a ajuda de especialistas locais para planejar a viagem. Tive contato com duas empresas que recomendo e operam as excursões na região Sul do país: Blue Ice Tasermiut.

.

Existem excursões de vários tipos e durações, mas eu escolhi visitar o SUL do país por 5 dias, conhecendo as cidades de Narsarsuaq, Igaliku, Itilleq e Qassiarsuk.

Alex correndo.

 

 

As opções de atividades e os Big Five groenlandeses

 

Podem variar, desde um passeio imperdível (mas caríssimo) de helicóptero até uma atividade gratuita, porém imperdível, de hiking (escalada) a uma montanha.

 

Você pode também fazer passeios de barco e caiaque pelos fiordes e icebergs. Só me arrependi de não ter tido a oportunidade de andar em um trenó na neve puxado por cães.

 

Assim como a África do Sul tem seus “Big Five” que são os 5 animais que você tem que ver em um safári, a Groenlândia tem seus “Big Five” imperdíveis também, que são o dog sledding  (trenó puxado por cães), a observação de baleias, a aurora boreal, conhecer o povo nativo e os glaciares de gelo.

Casinhas em meio ao gelo cobertas de neve. Ao fundo, lago com geleiras.

Curiosidades sobre a Groenlândia

 

1- Fui para o Sul da Groenlândia porque o frio é mais ameno por lá e escolhi ir em junho porque seria o verão deles, com temperatura média entre 5 a 10°C.

 

2- Visitei 4 cidades (Narsarsuaq, Itilleq, Qassiarsuk e Igaliku), mas que poderiam ser considerados povoados, porque toda a Groenlândia, considerada a maior ilha do mundo, com uma área de 2.166.000 km², tem apenas 57 mil habitantes.

 

3- Para chegar lá só existem 2 companhias aéreas (Air Iceland e Greenland Air) que têm poucos voos semanais e só vão e voltam para Reykjavik ou Copenhague. E o avião é um turbo-hélice com menos de 40 lugares.

 

4- Antes que me corrijam, está certo falar Groelândia, Groenlândia e Gronelândia, ok! 😉

 

5- A comida é bem escassa e havia apenas um mercadinho em uma das cidades, com poucas opções de frutas caras e legumes só congelados.

 

6- Fora Narsarsuaq que tem algumas vias de asfalto, todas as outras cidades têm pavimentação de cascalho e pedras, apenas.

 

7- Não tem como alugar carros lá e só há um posto de gasolina que é mais para atender o aeroporto.

 

8- A língua é um grande desafio e tudo estava escrito em dinamarquês ou groenlandês (neste caso, nem o Google Tradutor salva).

 

9- A polícia é um caso à parte, principalmente na alfândega do aeroporto. Você entra e sai facilmente sem perguntas ou entrevistas.

 

10- Eu já falei sobre os terríveis mosquitos selvagens? NÃO se esqueça de levar repelente se estiver planejando uma viagem para lá.

 


 

Que história! E que presente especial!

 

Quem quiser conferir mais fotos da trip, pode dar uma olhada lá no Instagram do Alex, @alexhorimoto.

 

Obrigado Alex e todos os viajantes que fazem parte desses 3 anos do Bomde. Aniversariar é agradecer, e a primeira fatia do nosso bolo é para vocês!

 

Partiu mundo!