26.09.17 | Escrito por: O Bom de Viajar

De Carona com o Bomde – Amsterdam

A viagem da família Martins pela terra das tulipas

Uma Eurotrip dos sonhos (e que se preze) tem Amsterdam no roteiro, não acham?

 

Conhecida pela liberdade e respeito com questões como religião, drogas e sexo (geralmente polêmica e tabu em muitas outras cidades do mundo), a capital honorária da Holanda é super vanguardista e recebe todo mundo de braços abertos.

 

Moderna e vibrante, a cidade tem atrações únicas, como a Casa de Anne Frank e o Museu Van Gogh, que são imperdíveis.

 

Seguir o script ou roteiro é sempre válido, mas a dica aqui é: vá de mente e coração aberto. Um café ou um simples passeio de bike em Amsterdam pode ser inesquecível.

 

Como a gente sabe disso?

 

Partimos rumo à terra das tulipas De Carona com a família Martins: Eduardo, Mari e o pequeno viajante Arthur, em sua estreia pela Europa (fino ele, né?).

 

Pé na estrada e bora desbravar o velho mundo (dessa vez, para menores).

 

 

 

 

 

De Carona com a família
Martins em Amsterdam!

 

 

 

Foto do trio.

Um casal louco pela estrada deixa de viajar quando tem filhos? Errouuu. Uma vez travellovers, sempre travellovers. Eis que assim nasce mais um viajante desse mundão.

 

A estreia no velho mundo do pequeno Arthur, com 2 anos e meio, é pra deixar qualquer viajante cheio de orgulho: Amsterdam, Paris e Londres. Tá bom pra você? 😉

 

Aproveitamos esse momento lindo e pegamos carona na trip por Amsterdam. Com vocês: Eduardo (o pai), Mari (a mãe) e Arthur (o filho viajante mirim). Sigam-nos os bons!

 

 

Fala, Eduardo Martins (Dudu):

 

 

Quando decidi que esse ano queria ir pra Europa com a Mari e o Arthur, comecei a pensar em um roteiro que pudesse ser fácil, geograficamente falando, e que as locomoções fossem relativamente tranquilas com uma criança de dois anos e meio.

 

Por isso, escolhemos Amsterdam, Paris e Londres. Além de serem lugares super legais (não, essa não era uma viagem pensada pro Arthur, mas fiz questão de ir com ele, diferente de casais mais moderninhos que a gente =P), nesse roteiro ainda pude evitar aeroportos e ir de trem pra cada país.

 

Maravilha de dica essa do Dudu!

 

 

E começou a viagem…

 

 

Arthur sentado sobre o apoio do mictório no banheiro do aeroporto.

1. No aeroporto do Rio já vi que a ideia poderia não dar certo hahahah!

Arthur mexendo no display atrás da poltrona do avião.

2. Quando entramos no avião, o moleque já começou a mexer em tudo. Socorro!

Arthur no aeroporto de Frankfurt.

3. Fizemos uma parada em Frankfurt e: “Papai, mamãe, que é isso? E isso?”.

 

Letreiro I AMsterdam.

4. Até que chegamos e vimos as recompensas.

Caneco de chopp Amstel Bier, em Amsterdam.

5. E ainda mais recompensas!

Vista do Hotel.

6. Nos hospedamos em um hotel super agradável colado no Vondelpark.

 

 

No nosso primeiro dia não marcamos nada. Queríamos andar sem rumo e conhecer a cidade sem compromissos.

 

E de cara pude comprovar o que já tinha lido: Amsterdam é muito mais certinha do que doidona. A cidade funciona, é organizada e os holandeses são muito educados.

 

 

 

No primeiro dia fomos dar uma volta na Museumplein (Praça dos Museus).

Foto de duas taças com chopp até a borda.

…E, claro, bebeeeeer!

 

 

 

Arthur super acordado tomando banho na banheira do hotel.

Depois dos passeios, quando a gente chegou ao hotel super cansados, a criança que estava dormindo… Acorda!

 

Sorridente e feliz com o seu primeiro dia em Amsterdam. Sucesso! 😀

 

 

Mari em frente ao Museu Van Gogh.

No 2º dia, fomos ao Museu Van Gogh, ver os famosos quadros do pintor holandês Vincent van Gogh: “Doze girassóis numa jarra” (Sunflowers, de 1889), “Quarto em Arles” (The Bedroom, de 1888), seu autorretrato mais famoso de 1887 e mais 200 obras incríveis de Van Gogh.

 

O espaço é bem interativo, conta com quatro andares, áudios, vídeos e também é possível fazer visitas guiadas e ter explicações de cada obra com áudio na sua língua. O lugar é demais!

 

 

 

De lá, fomos direto pro museu da Heineken. Belíssima experiência também!

Foto do almoço servido na cantina. Pratos com bastante massa, carne e queijo.

Dali, fomos caminhar meio que sem direção e almoçamos em uma cantina italiana deliciosa.

 

 

Depois fomos dar uma volta pelos canais, que é uma das melhores partes de Amsterdam. Lindíssimo!

 

 

Edu em frete a um dos canais e ao lado das bicicletas.

Em seguida, alugamos uma bicicleta. Esse é o ponto chave da cidade. Aí é andar e se perder pelas ruas, sem um destino definido.

 

Se eu morasse lá, jamais teria carro. Meu meio de transporte seria de bicicleta!

 

Mais tarde, devolvemos a bicicleta (grande erro!).  Dica: o legal é ficar de bike o tempo que estiver na cidade. Melhor jeito de se deslocar e aproveitar mais por lá.

 

 

… Fomos dar uma volta pela Museumplein. Como fomos durante a primavera, anoitecia por volta de 21h30. E pegamos um frio de 7̊ C… Nossas mãos congelavam!

 

No 3º dia fomos a Keukenhof, o famoso jardim das tulipas. Que lugar!

 

 

 

 

Atenção: lá só funciona do final de março até o início de maio.

 

 

Delicioso prato de massa com uma Paulaner para acompanhar.

Paradinha pra um almoço com uma Paulaner.

Trio passeando de bicicleta.

Na volta alugamos uma bicicleta novamente e demos uma volta pelo Vondelpark.

Novamente no letreiro I AMsterdam, agora à noite.

…E (pra fechar com chave de ouro) mais um passeio pela Museumplein.

 

 

Por estarmos acompanhado pelo Arthur, não visitamos muitos museus (e nem é muito a nossa onda). Fomos mais a restaurantes, bares, rolês pela cidade e até demos uma volta pela Red Light District (bairro da Luz Vermelha), mas não tiramos foto, pois ficamos com medo de retaliações.

 

Mais tarde saímos pra comer e dormir cedo, porque na manhã seguinte tínhamos o trem cedo em direção a Paris.

 

Amsterdam é pequena e em três dias inteiros dá pra fazer um bom roteiro. Mas ficou aquela sensação que poderíamos ter ficado mais um diazinho por lá, principalmente de bike.

 

 

+ Dicas

 

Você pode incluir no seu roteiro todas ou algumas dessas super atrações de Amsterdam. Vai ser incrível:

 

 

Cruzeiros e passeios nos canais de Amsterdam

 

Casa de Anne Frank

 

Museu da Casa Flutuante

 

Het Grachtenhuis em Amsterdam (museu)

 

Masmorras de Amsterdam

 

Rijksmuseum Amsterdam (museu)

 

Oude Kerk de Amsterdam (igreja paroquial
mais antiga da cidade)

 

Vá de bike: a cidade é totalmente plana. Aproveite!

 

Quem disse que viajar com os pequenos é complicado? Descomplique-se e se joga no mundão.

 

Afinal, viajar em família é tudo de bom!

Tags

#decarona#pelomundo

Posts relacionados