12.03.18 | Escrito por: O Bom de Viajar

De Carona com o Bomde – Buenos Aires

As aventuras da família Rothen em uma road trip pela Argentina

Rivalidades à parte, a Argentina é um daqueles países super charmosos, cheios de cultura, gastronomia, pontos turísticos encantadores e o melhor: fica do ladinho do Brasil.

 

Foi pensando nisso que nós, aqui do Bomde, resolvemos pegar uma carona com o Matheus Rothen e sua família numa road trip (aka viagem de carro) juntos para o país vizinho para conhecer os encantos de la tierra del tango💃

 

 

 

 

 

¿Hablas español?
Uma road trip cheia de histórias com destino a Buenos Aires

 

Mais de 2.000 km e 15h separavam esses viajantes aventureiros do seu destino. Mas a recompensa valeu a pena: foram 4 dias de experiências incríveis explorando a capital argentina!

 

Agora, com a palavra, nosso guia: Matheus! 😃

 

 

“We are family…” ♪♫

 

Um pouco sobre nós: somos quatro. Pai, mãe, eu e irmão caçula. Somos muito unidos. Muito. Quando Dudu Nobre cantou “essa família é muito unida”, certamente ele estava pensando em nós.

 

Sempre quisemos fazer uma road trip em família. Esse ano, os astros se alinharam. Todos conseguiram tirar férias juntos e meu irmão não pegou recuperação na escola 😛 Decidimos ir conhecer a Argentina. De Porto Alegre até Buenos Aires, seriam 15h no carro.

 

Família Rothen

Organizando a viagem

 

Planejamos ir no final de janeiro, que é um período mais calmo por lá. Vimos a rota no Google Maps e salvamos os mapas offline. Compramos todos os tours e passeios possíveis com antecedência. Em geral foi uma boa escolha: os preços estavam mais em conta e não pegamos filas.

 

Alguns apps que quebraram o galho na hora de planejar a viagem:

 

Logo Tripadvisor

TripAdvisor

 

(Android | IOS)

Você vê fotos das atrações, lê reviews, salva os lugares que quer visitar e o aplicativo organiza tudo em um mapa, bem fácil. Também dá pra convidar pessoas para colaborar e planejar a viagem junto 🙂 E melhor, os mapas e roteiros funcionam offline depois.

Logo Google Translate

Google Translate

 

(Android | IOS)

Se o seu espanhol for rebuscado que nem o nosso, composto só de letras da Shakira e do Ricky Martin, recomendo muito. A funcionalidade de tirar foto do cardápio e ver tudo traduzido é MÁGICA. Foi o que nos salvou de pedir intestino por engano na parrilla 😀

 

Logo xCurrency

xCurrency

 

(Android | IOS)

Melhor app para converter moedas. Ele pode calcular com a cotação atual, ou com a cotação que você pagou no câmbio, então os valores são bem reais.

 

Dica do Bomde: quem converte não se diverte! 😅

 

Gaúchos levando o ‘bah’ para Buenos Aires

 

Indo pela Argentina e voltando pelo Uruguai, nossa viagem deu um total de 2.275km!

 

Fomos de Porto Alegre até Uruguaiana (umas 8h, parando para almoçar) e passamos a noite lá. Depois, cruzamos a fronteira em Paso de los Libres e fomos até Buenos Aires (mais umas 7h). A Aduana foi muito tranquila, não fizeram revista. Apresentamos o RG de todos, a documentação do carro e a Carta Verde.

 

 

 

A Carta Verde é um seguro obrigatório para veículos ingressarem nos países do Mercosul. Ele serve para proteger os viajantes e terceiros de acidentes que possam acontecer durante a trip. 🙂 Consulte sempre sua seguradora ou despachante para emitir a Carta Verde com segurança e no prazo certo para a viagem.

 

Fizemos um pouco do câmbio aqui no Brasil, já que os pedágios por lá são em pesos argentinos. O resto do câmbio fizemos ao chegar na Argentina, porque valia mais a pena. Foram 5 ou 6 pedágios de 40 pesos cada um (aproximadamente R$ 6). Para abastecer, encontramos vários postos no caminho, todos aceitavam cartão de crédito. A gasolina tinha um preço bem similar ao de Porto Alegre (em janeiro de 2018).

 

Como meu pai é o único que dirige, e foram 15h em estradas retas e bem longas, fizemos um plano para todos ficarem acordados e manterem o pai entretido e alerta. Fizemos uma playlist colaborativa no Spotify com 13h de músicas agitadas. E não foi suficiente. A playlist acabou e ainda faltavam duas horas até chegarmos. Então enchemos o tanque com a playlist Pé na Estrada do Bom de Viajar.

Além da música, o que mais nos divertiu na viagem foi o app Dark Stories (Android | IOS). São vários enigmas para resolver em equipe. Você lê uma história, geralmente um mistério ou um assassinato, e as outras pessoas precisam fazer perguntas de “sim” ou “não” até descobrir a resposta.

 

Outro app que rendeu muitas risadas e intrigas foi o Spyfall (Android | IOS) (esse é em inglês). É pra jogar com pelo menos 3 pessoas. A cada rodada, um espião é sorteado, e os outros do carro precisam fazer perguntas entre si para descobrir quem é o infiltrado da vez. Boas dicas pra passar o tempo! 😉

 

 

Dia 1 – Pero que sí, Pero que no

 

Chegando em Buenos Aires, paramos no shopping Galerías Pacífico para comer e fazer câmbio. O lugar é lindo, tem uma cúpula com afrescos pintados no teto. É muito curioso o contraste das lojas do shopping com os murais no teto. Vale a pena conhecer. Aproveitei a ida ao shopping para comprar um chip de celular. O chip com 2Gb de internet por 10 dias saiu por 120 pesos (cerca de 20 reais). Recomendo muito.

 

Galerias Pacifico, Buenos Aires

Galerias Pacifico, Buenos Aires

 

 

#DicaDoMath: a taxa do Banco Nación é um pouco melhor que a do shopping, mas no banco eles só trocam reais na agência central. Ela abre às 10 da manhã e tem uma fila de quase 2h. Preferimos não encarar a fila para não perder uma manhã da viagem. Acabamos trocando nos shoppings pela comodidade: não tem muita fila, todos aceitavam reais e a taxa era melhor do que trocar no Brasil.

 

Depois de todo aquele tempo no carro, decidimos esticar as pernas e caminhar pelos principais parques de BA. O Jardín Botánico, o El Rosedal, o Parque 3 de Febrero e o Jardín Japones são todos lindos e próximos para ir a pé. Começamos pelo Jardín Botánico. Ele tem caminhos arborizados para andar, com bastante sombra. Também há fontes e estátuas por todo o jardim, ideal para um passeio bem contemplativo.

 

Seguimos para o El Rosedal e o Parque 3 de Febrero. São os melhores parques para quem quer correr, andar de pedalinho ou até sentar na grama e ver o tempo passar. O El Rosedal é maravilhoso, são centenas de rosas de cores e espécies diferentes. Os jardins são muito bem cuidados, mas não tem sombra, então leve um chapéu e passe protetor solar. 🙂

Jardim botanico buenos aires

 

 

parque rosedal

 

Nosso último parque foi o Jardín Japones. A essa altura, meu irmão pequeno já estava de saco cheio de caminhar. Mas como ele é fã de Naruto e animes, no Jardín Japones ele recuperou o fôlego e se motivou a continuar o passeio. A entrada é paga, mas não é caro. O lugar é muito tranquilo, você se esquece que está na cidade e se sente transportado para outro mundo. Além das árvores e decoração japonesa, há uma ponte que cruza um lago com carpas enormes e de todas as cores.

 

Jardin Japones buenos aires

Carpas no jardim japones


À tarde fomos no
Cemitério da Recoleta. Apesar de ser um pouco mórbido, é lindo e riquíssimo em história – vale muito a visita. Recomendo olhar o mapa na entrada para memorizar os principais pontos de referência, porque é bem fácil se perder lá dentro. E ninguém quer ficar perdido em um cemitério, né?

 

Tango portenho

Nosso dia encerrou no Tango Porteño. É uma super produção, com vários dançarinos, cenários, figurinos e uma orquestra belíssima. É mais próximo de um musical do que de um tango tradicional. Enfim, um espetáculo de encher os olhos.



 

Dia 2 – Ay, caray, mamá!

 

No dia seguinte, tomamos café com a TV ligada, enquanto meu irmão via desenhos em espanhol. Numa cena, a Peppa Pig falou para mãe dela “Ay, caray, mamá”. Silêncio na casa, todos chocados, e meu irmão dando risada. Jogamos no tradutor e descobrimos que é uma expressão de surpresa (jura?), mas não é palavrão. A tradução é algo tipo “Nossa, mamãe!”. Daí em diante, tudo na nossa viagem era “ay, caray!”.

Peppa Pig em Espanhol

 

Começamos o passeio do dia na Casa Rosada, a sede da presidência na Argentina. A visita guiada é gratuita e em português, mas acontece só nos fins de semana e precisa agendar pelo site 15 dias antes. O prédio é muito charmoso, rico em detalhes e tem um jardim belíssimo dentro. Recomendo o tour, já que é a única forma de entrar no local. Ao lado, há o Museu da Casa Rosada, a entrada é livre também. O museu foi feito sob as ruínas do forte que defendia a casa no passado, então, a construção é super interessante.

.

.

Casa rosada, Buenos Aires

Fachada Casa Rosada Argentina

.

Interior casa rosada Argentina

.

..

A próxima parada foi o Teatro Colón. No caminho, passamos pelo Obelisco. Meu irmão imediatamente apontou “Ahá, então foi aqui que filmaram o Homem-Aranha”. Tivemos que destruir os sonhos do menino e explicar que há vários obeliscos pelo mundo, mas a referência dele foi fofa.

 

O Teatro Colón foi provavelmente minha atração favorita. Colunas em mármore, decoração folheada a ouro, lustres enormes, é de encher os olhos. Restaurado recentemente, o teatro está em perfeito estado, uma obra prima. As visitas acontecem de 15 em 15 minutos e duram cerca de 1h.

 

 

 

Depois disso, voltamos até o centro pelo calçadão do Puerto Madero. É um bairro novo com prédios modernos, restaurantes, bares e baladas. Uma curiosidade interessante: em Puerto Madero, todas as ruas têm nomes de mulher. As vias foram batizadas com nomes de argentinas revolucionárias, de diferentes profissões e origens sociais, que lutaram por liberdade, igualdade e independência no país. ❤

 

puerto madero buenos aires

 

Nosso pôr do sol foi no mirante do Palácio Barolo. O palácio foi projetado por italianos para receber os restos mortais de Dante Alighieri, o que acabou não acontecendo. A arquitetura é inspirada na Divina Comédia, então ele tem três divisões: inferno, purgatório e céu, assim como a obra de Dante. Com o perdão do trocadilho, o passeio é divino. São 26 andares. Conforme você sobe, as estátuas, a decoração e os detalhes vão mudando para representar partes da obra. No último andar, o céu, a torre tem uma vista 360º da cidade.

 

 

DIa 3 – O Papa, a chinesa e o guarda-roupa

 

 

Nossa primeira parada foi no El Ateneo Grand Splendid, uma livraria dentro de um teatro antigo. Somos fascinados por livrarias, e essa, definitivamente, não decepciona. No antigo palco do teatro há um café, com um ambiente super agradável para sentar e ler algo. Infelizmente os livros eram todos em espanhol e não entendemos nada, mas levamos alguns para tentar ler e praticar em casa.

 

 

À tarde, fizemos uma experiência no Airbnb chamada “Buenos Aires para quem quer fugir do lugar-comum”. Como vimos os principais pontos turísticos nos primeiros dias, achei que seria bacana interagir com um local e conhecer lugares não tão turísticos. Nosso contato foi a Elisa, uma moça muito bem versada em história, arte e arquitetura. A tarde começou no Caballito, um bairro mais antigo e residencial, e terminou em Almagro, outro bairro antigo, mas mais comercial.

 

Elisa nos levou a uma barbearia de gaúchos, onde conversamos sobre os costumes dos gaúchos argentinos e como eles se assemelham aos do Sul do Brasil. Depois, fomos na Basílica María Auxiliadora y San Carlos, igreja onde o atual Papa foi batizado. Como não está nos principais roteiros, ela é fácil de deixar passar. Mas por dentro, a arquitetura espanhola faz com que ela seja muito diferente das outras igrejas que vimos em Buenos Aires. Seus arcos vermelhos e seu órgão belíssimo tornam a Basílica uma verdadeira jóia escondida. 

 

 

basílica maria auxiliadora buenos aires

interior igreja maria auxiliadora buenos aires

igreja maria auxiliadora buenos aires entrada

 

 

A experiência era para 5 pessoas, então além de nós, havia uma moça de Hong Kong que estava viajando sozinha. Ela era muito empolgada, andava com um pau de selfie por todo o lado, tirou até foto fazendo high-five com um papa de papelão em tamanho real.

 

Nossa última parada foi no La Catedral, um clube bem raíz, onde os moradores se encontram para dançar tango tradicional. Quando o tour terminou e estávamos dando tchau, vimos que a chinesa queria ficar para dançar tango.

 

Só que era um bar escuro, à noite, ela estava sozinha e não falava espanhol. Enfim, ficamos um pouco preocupados em deixar a chinesa lá. Ela super empolgada, e nós trocando olhares nervosos. E aí, será que ela vai ou fica? China stay ou China go?

 

 

clube la catedral buenos aires

clube la catedral interior buenos aires

 

No fim ela ficou, bem feliz. 😀 Espero que tenha dançado bastante e voltado segura pra casa.

 

 

Dia 4 – Hasta la vista

 

A volta foi bem tranquila. Pegamos a balsa (buquebus) até o Uruguai. Foram 3h de travessia, mas existe uma opção mais rápida também. É muito simples: você compra as passagens pela internet, chega 1h antes, faz check-in no primeiro andar e depois faz a imigração no segundo. Precisa do RG e do recibo de entrada no país.

 

Como estávamos de carro, nesse ponto nos separamos. Meu pai foi estacionar o carro na garagem dentro da balsa, e nós fomos esperar na fila de embarque. Enquanto embarcamos, ele estacionou e nos encontramos lá dentro. A balsa é bem legal, tem cafés, um bar, fliperamas, um free shop e um deck para ficar no solzinho e curtir a vista.

 

Depois disso, mais 8h no carro e chegamos a Porto Alegre. Foi nossa primeira road trip, e com certeza não será a última. Já chegamos em casa com saudade de Buenos Aires. Mas vamos tentar não chorar por ti, Argentina. 🇦🇷

 

 

familia rothen casa rosada

 

 

É perceptível que é do tipo de cidade que você visita várias e várias vezes e sempre pode se deparar com algo novo para conhecer. Estamos apaixonados por essa trip e já colocamos nossa hermana Buenos Aires na lista de “queremos muito!”. E vocês? ❤