01.10.18 | Escrito por: O Bom de Viajar

Roteiro pela Chapada dos Guimarães

Belezas naturais apaixonantes em um destino para quem ama ecoturismo

Que o Brasil é cheio de paisagens incríveis você já sabe, né? Praias, florestas, lagos, rios, cachoeiras… Nosso país é um prato cheio para os fãs de ecoturismo. E um dos melhores destinos para quem não perde a chance de entrar em contato com a natureza é a Chapada dos Guimarães!

 

A apenas 65km da capital, Cuiabá – onde você pode garantir a sua hospedagem com todo o conforto -, a Chapada dos Guimarães é uma daquelas viagens que você precisa fazer pelo menos uma vez. 🙂 Tá afim? Então vem conferir o nosso roteiro e descobrir o que fazer na Chapada dos Guimarães! 🙌

Confira o nosso guia pela Chapada dos Guimarães e apaixone-se por esse destino cheio de belezas naturais!

 

 

 

Se você estiver planejando uma trip para o Mato Grosso, saiba que em três dias já é possível aproveitar os principais passeios pela Chapada dos Guimarães. Outra dica fundamental: na hora de arrumar suas malas, não se esqueça do protetor solar com alto fator de proteção, óculos escuros e um chapéu ou boné. Faz muuuito calor no Mato Grosso, e a maioria dos passeios pela Chapada dos Guimarães é ao ar livre. Então já sabe, né? Proteja-se! Não se esqueça também de uma garrafa de água, para manter a hidratação em dia durante os passeios. Um repelente é outra boa dica, caso você seja muito alérgico a mosquitos. Dito isso, partiu aventura! ✌

 

 

Motivos para visitar a Chapada dos Guimarães

 

Cachoeira Véu de Noiva e Mirante do Centro Geodésico

 

A cachoeira Véu de Noiva é um dos cartões-postais da Chapada dos Guimarães. Tanto a cachoeira quanto o Centro Geodésico estão localizados antes do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, então você pode visitá-los por conta própria, sem precisar de guia. O acesso à cachoeira é bem próximo da estrada que liga Cuiabá à Chapada dos Guimarães e, após uma leve caminhada (de aproximadamente 500 metros), você chega lá! Além da paisagem de tirar o fôlego, com sorte você avista o voo das araras vermelhas durante seu passeio pela Véu de Noiva. 😉 Já o Mirante do Centro Geodésico, a 845 metros de altitude, proporciona uma visão incrível de toda a Chapada, que fica ainda mais bonita ao entardecer. Vale a visita!

 

 

Parque Nacional da Chapada dos Guimarães

 

O Parque Nacional da Chapada dos Guimarães é uma unidade de conservação ambiental administrada pelo ICMBio e, para conhecer a maioria das atrações, é preciso contratar um guia certificado. O parque tem entrada gratuita e pode ser visitado durante o ano todo, mas a época de seca vai de abril a outubro (de julho a outubro, entretanto, há maior chance de queimadas). De dezembro a março acontece a época de chuvas. Também vale evitar visitar o destino no inverno, porque a nebulosidade atrapalha a visibilidade e diversos passeios, além das temperaturas muito baixas.

 

 

Araras sobrevoando a Cachoeira Véu de Noiva. Foto: Rodrigo Rascher/@natgeobrasil
Cachoeirinha na Chapada dos Guimarães. Foto: @lucianacouto17
Cidade de Pedra. Foto: @telleskassya

 

 

 

•  Circuito das Cachoeiras: cachoeiras na Chapada dos Guimarães são uma das atrações mais procuradas! Existe uma trilha especialmente para conhecer todas essas belezas e, é claro, se refrescar e se energizar. 💙 Vamos ser sinceros, o passeio é cansativo: são cerca de 6km de extensão, com uma caminhada de aproximadamente 5h. Mas os banhos de cachoeira compensam o esforço e são uma ótima recompensa para enfrentar o calor de Mato Grosso. São 6 quedas d’água e 2 piscinas naturais, e apenas na Cachoeira Independência o banho não é permitido. Como a caminhada é longa e não há comércio no local, é recomendado levar água e lanches para enfrentar o percurso (mas lembre-se de não deixar nenhum lixo pelo caminho, ok?). Por fim, durante o circuito você também conhece a “Casa de Pedra”, uma caverna de arenito que parece ter teto e paredes. 😃 No passado, o local foi abrigo de povos primitivos, indígenas, bandeirantes, entre outros. Uma visita imperdível para quem gosta de história e arqueologia.

 

#DicaDoBomde: fora do Circuito, há duas cachoeiras que você pode visitar sem necessidade de guia. São elas: Cachoeira da Geladeira e Cachoeira do Marimbondo. Elas ficam próximas uma da outra e em ambas o banho é permitido. Vale a pena alugar um carro para fazer esses passeios com mais segurança e autonomia.

 

•  Circuito das Cavernas: esse passeio fica em uma propriedade particular, então é necessário pagar ingresso para entrar. Aqui você pode conferir mais informações sobre valores e pacotes. 😉 A dica para curtir esse passeio é utilizar calçados confortáveis, pois a caminhada passa por diversos terrenos íngremes ou, se você preferir, pode pagar R$ 15 para percorrer o trajeto no trator da propriedade. Os guias também fornecem caneleiras de couro para proteger os visitantes de possíveis mordidas de cobra. As cavernas são selvagens, sem qualquer tipo de iluminação, então não se esqueça de levar uma lanterna! A principal caverna do circuito é a caverna Aroe Jari, também conhecida como Morada das Almas. Ela é a maior caverna de arenito do Brasil e um dos passeios mais bonitos da região. A 30 minutos da Aroe Jari está a Gruta Azul, cuja água cristalina fica ainda mais bonita quando recebe os raios de sol. 💙 A terceira e última caverna é a Kiogo Brado, com extensão de 273 metros. É super bonito o modo como a luz atravessa os dois lados da caverna, mas vale lembrar que esse é um passeio para quem realmente gosta de aventura. 🙂

 

#DicaDoBomde: capriche no repelente de insetos e no protetor solar para esse passeio. Além disso, levar água e um lanche (barrinhas de cereal, sanduíche, etc.) com você é fundamental para curtir o passeio sem maiores problemas. Não queremos ninguém passando mal, hein? Outra dica de ouro é reservar um horário no restaurante da fazenda Água Fria. A comida é caseira, super gostosa, mas pode acabar lotado. Então é melhor garantir o seu almoço ao retornar do circuito.

 

•  Cidade de Pedra: o nome vem das enormes formações rochosas que fazem dessa atração uma das mais incríveis da Chapada dos Guimarães. São enormes paredões de pedra com uma vista pra lá de linda. Lá de cima você vê as paisagens do Cerrado e, com sorte, também consegue ver alguns espécimes em seu habitat natural, como as araras vermelhas, seriemas, entre outros. Até pegadas de onça é capaz de você encontrar por lá! Em função dos perigos do passeio, para realizá-lo é obrigatório estar acompanhado de um guia credenciado e autorizado pelo Parque Nacional, bem como uma assinatura de um Termo de Conhecimento de Risco por cada visitante. Mas a paisagem impressiona e vale a pena, viu? A 350 metros de altura, temos certeza de que você vai se encantar com o visual do Cerrado.

 

 

#DicaDoBomde: se você não quiser contratar um guia para fazer o passeio pela Cidade de Pedra, aos sábados (das 14h às 16h) exclusivamente ocorrem visitas guiadas autorizadas pelo ICMBio. Somente nesse dia e horário você pode conhecer a atração sem guia, então fique ligado. =)

 

Para curtir os passeios com tranquilidade, é possível deixar uma atividade para cada dia: Circuito das Cachoeiras, Circuito das Cavernas e Cidade de Pedra. No dia em que sua agenda estiver mais tranquila, se possível, encaixe a ida ao Véu de Noiva e ao Mirante do Centro Geodésico, que (como mencionamos antes) podem ser visitados sem guia.

 

Circuito das Cavernas / Caverna Aroê-Jari e Lagoa Azul. Foto: @guilhermenobreee

 

Estrada Parque . Foto: @kililla
Mirante Geodésico. Foto: @celinnedacosta

 

 

Trekking em Chapada dos Guimarães

 

 

Para quem busca ainda mais aventura durante a trip, vale visitar o Morro de São Jerônimo, o ponto mais alto da Chapada dos Guimarães. É comum a prática de trekking por lá, e é necessário bom condicionamento físico para percorrer os 20km de trilha que leva ao topo do morro, a 850 metros de altitude. A vista é uma das mais deslumbrantes que você vai encontrar na Chapada dos Guimarães!

 

 

Morro de São Jerônimo. Foto: @arthurottoni23
Trilha de São Jeronimo. Foto: @joaorapha

 

Foto: @amigosdetrilhas

 

 

Onde comer na Chapada dos Guimarães

 

Para uma experiência gastronômica diferenciada, uma boa opção é o Morro dos Ventos, um Restaurante Mirante localizado em um condomínio fechado a mais ou menos 1km do centro da cidade. Especializado em comida caseira, o ambiente rústico e bucólico conquista os visitantes, mas a grande atração, é claro, é a vista para os paredões de pedra.

 

Depois de tantas dicas, seu lado explorador e aventureiro deve estar louco para arrumar as malas, né?

 

Não faltam coisas para fazer na Chapada dos Guimarães, e temos certeza de que você vai se apaixonar pelo contato com a natureza e pelos cenários de tirar o fôlego desse destino incrível. 😉

 

 

Morro dos Ventos Restaurante Mirante. Foto: morrodosventos.com.br
Tucano de Bico Preto. Foto: @jeannem.n
Paraíso Perdido / Vale do Rio Claro. Foto: @chapadadosguimaraesmt