14.03.19 | Escrito por: O Bom de Viajar

Buzzbomde: dicionário de gírias brasileiras

Expressões para conhecer e viajar pelos quatro cantos do país

O Brasil é gigante, diverso, colorido, multicultural e paradisíaco. E tão grandes quanto o nosso querido país são suas expressões e dialetos, né não?  

 

Por aqui, já fizemos um pequeno dicionário para todo mundo pedir pelo pão francês (média, carioquinha ou cacetinho) e outras tantas delícias gastronômicas do jeito certo em cada região, sem medo de ser feliz. 😉

 

Agora chegou a vez de você conhecer as gírias brasileiras mais usadas país afora, para não ficar boiando na próxima trip por aí. Prontos?

 

Bora que a viagem cultural vai começar!

 

Aqui é papo reto: dicionário de gírias brazucas pra você ficar ligado!

 

 

 

São Paulo

 

A fila anda: geralmente usado para dizer que a vida continua após um rompimento de um relacionamento. Segue o baile!

 

E aee rapá: um jeito bem paulistano de dizer “oi, tudo bem?”

 

Abraça: em Sampa significa desistir de algo. Algo na linha do “já era”, não tem mais jeito.

 

A fila anda… e ela anda mesmo!


Ô, véi: muito usado para chamar a atenção de outra pessoa. O mesmo que cara, mano, irmão…

 

Daora: é algo legal.

 

De boa, sussa: significa que tá tranquilo.


Gente fina: uma pessoa legal, agradável, bacana, gente boa.  

 

Padoca: é sanduíche de mortadela o que você quer? Já sabe, tem que ir até uma padoca, ou padaria.

 

 

Putz grila!

Putz ou Putz grila: expressão que indica algo inesperado, uma surpresa ou espanto diante de alguma coisa.

 

Mano: mano, você não conhece essa gíria? 😀 É tipo brother, irmão, amigo, camarada, colega. Use à vontade em SP!

 

Meu: mesmo que mano.

 

 

Mina: é a compressão da palavra menina. O mesmo que garota, amiga…

 

Tá embaçado: sabe aquela situação complicada de resolver? Então, tá embaçado. Uma situação difícil.  

 

 

Sacou?

Sacaram: tá entendendo tudo? Sinal de que você sacou bem… Mesmo que compreender algo.

 

Pagando pau: quando se está interessado em alguém.

 

Busão: apelido carinho para ônibus.


Trampo:
é o local de trabalho.

 

Treze: uma pessoa doida, louca…

 

Colar lá: o mesmo que comparecer em um determinado local.

 

Rolê: sair, dar uma volta, passear.

 

Vaza daqui: quer expulsar alguém? Pode usar o vaza daqui que vai dar certo. 😀

 

#Vazei

 

Rio de Janeiro

 

0800: grátis. 😀

 

Brou / Brother: amigo ou companheiro.

 

Beleza / Belezura: cumprimento do tipo tudo certo!

 

Bolado: preocupado com algo ou alguém.

 

Caô: uma mentira.

 

Cara: mesmo que brother.

 

Caraca: serve para situações de surpresa, desapontamento ou espanto.

 

Dá uma moral ou dá uma moral, aê!: dar um apoio, força.

 

Dar um relax: curtir, descansar, relaxar…

Tô bolado!



Deu ruim: que não deu certo.

 

Ih, ó o cara: para chamar atenção sobre algo que alguém esteja fazendo. Interjeição que indica “olha só, viu o que ele está fazendo”?

 

Já é: para concordar com algo.

 

Muito maneiro!

Fala sério: usado para descontentamento por algo.

 

Ficou pequeno pra ele: ficar mal falado.

 

Maneiro: muito legal. Mesmo que show de bola.

 

Mete o pé: cai fora!


Mermão: mesmo que cara.

 

Mó: muito.

 

Mó comédia: a pessoa que está sem credibilidade.

 

Na moral: pode ser interpretado como por favor, sem problemas, tranquilo ou de boa. Também usado para afirmar algo.

 

 

#Partiu

Na moral: pode ser interpretado como por favor, sem problemas, tranquilo ou de boa. Também usado para afirmar algo.

 

Partiu: indica o começo de alguma ação. Mesmo que “bora”.

 

Sinistro: pode ser uma situação difícil ou um elogio.

 

Vacilo e vacilagem: um erro, engano…

 

Vacilão: a pessoa que vacila (erra).

 

 

Bahia

 

 

 

Esse é muito boca de zero nove!

Bater um baba: jogar futebol.

 

Binho / Binha: apelido carinho de qualquer pessoal quando se está com preguiça de dizer ou não sabe o nome.

 

Boca de me dê: pessoa folgada, pidão.

 

Boca de zero nove: pessoa corajosa.



Cacete armado: lugar ruim demais.   

 

É barril: um aviso para quando algo vai dar errado.

 

Muléstia: usada como espanto, descontrole…

 

Ôxe: interjeição usada em diferentes situações para indicar surpresa, espanto, dúvida…

 

Lá ele!: mesmo que dizer “eita!”.

 

Queixar: marcar um encontro com o “date”.

 

Virado no setenta: com raiva.

 

Vixe: expressão de surpresa.

 

Xêro: usada nas despedidas. Mesmo que dar tchau.

Lá ele!





Ceará

 

 

Estribado: com dinheiro.

 

Mangar: debochar.

 

Macho ou Macho Réi: tipo cara, mano, meu…

 

Queixar: dar uma cantada.

 

Tem é Zé: que é muito difícil.

E ai, macho rei?!





 

Maranhão

 

 

Eu sou bicho cacau!

 

Caçar barulho: procurando confusão.

 

Ser o bicho cacau: ser o melhor.

 

Dar o doce: mesmo que casar.

 

Só querer ser 31 de fevereiro: querer aparentar o que não é.




Minas Gerais

 

Andar o passeio: caminhar na calçada.

 

Blusdifrii: quando cair a temperatura já sabe, não pode esquecer a blusa de frio.

 

Bololô: Confusão, agitação.

 

Cambito: perna fina.

 

Lambiscar: comer pouco.

 

Preso num bololô… help!



Cascou fora: sair correndo. Ou mesmo que dar no pé.

 

Massagáda: roupa amassada.

 

Nu: para expressar surpresa.

 

Patola: preguiçoso.

 

Ôns: claro que significa ônibus, né amores.

 

Oncotô: tá perdido. É como falar “onde eu estou?”.

 

Trem: qualquer coisa pode ser um “trem”.

 

 

 

 

Rio Grande do Sul

 

Arriada: fazer piada, graça.

 

Bah!: talvez a gíria mais conhecida do Rio Grande do Sul, o “bah!” é uma interjeição usada para expressar surpresa, tristeza, mal-estar, alívio, espanto, dúvida… Exemplo: Bah, que frio! É uma palavrinha versátil e multiuso.  

 

Baita: uma coisa grande.

 

Boiando: quando você não entende alguma situação, fica por fora do assunto, não sabe o que está acontecendo.

 

Borracho: diz sobre a pessoa que bebeu demais.

Que? Tô boiando!



Capaz: capaz é empregado em tantas situações diferentes, que pode parecer complicado no começo. Resumindo, pode ser usado como interjeição ou resposta para quase todas as situações de espanto, surpresa, tristeza ou alegria.

 

Chimas: chimarrão, claro.

 

 

Ei, cusco!

Cusco: cachorro.

 

Entrevero: quando rola aquela confusão, algo em desordem.


Guri / Guria: o mesmo que menino e menina. Também usado com o mesmo significado de “cara” ou “mina”.

 

Juntar os trapos: quando alguém casa no Rio Grande do Sul, essa pessoa está juntando os trapos.

 

Larguei de mão: quando você desiste de algo ou alguém.



Me caiu os butiá do bolso: expressão de espanto, surpresa.  

 

Naco: vai em alguma churrascaria e quer um pedaço grande de carne? Pede um naco. Quer dizer, uma porção farta de alguma.

 

Pelego: é algo feito de pele de ovelha.

 

Piá: um menino ou pessoa de comportamento infantil.

 

Pior: expressão de afirmação.  O mesmo uso de aham, ou entendo…

 

Pila: dinheiro.

 

Sossega o facho: fica quieto!

 

Queimar o filme: atitude que coloca a reputação de alguém à prova.

 

Tchê: popular expressão gaúcha de saudação e exclamação, geralmente para se referir a alguém. O mesmo sentido de cara, amigo e por aí vai…

 

Tipo: quando você quer dar um exemplo.

 

Tri: para dizer que algo é ou foi muito legal, bacana, feliz…

Muito tri!

 



 

 

 

 

 

Eita que o universo das gírias brasileiras é grande demais, sô!

 

Quer dividir com a gente alguma expressão bem local e que não está na nossa lista? Deixe abaixo nos comentários. Vamos adorar conhecer!

 

Um viva à cultura popular brasileira!